segunda-feira, 7 de julho de 2008

Castigo

O arrepio na pele, o frio na boca do estômago, a impressão de que algo esta para acontecer, a inquietude, todos os sentidos em alerta e a respiração descompassada.
Tento me acalmar sem êxito...A cada segundo mais e mais a sensação de urgência toma conta de mim.Preciso dele, preciso ser dele, e ao mesmo tempo, tenho medo.
Um medo incomum, pois sei que fiz algo que o desagradou, e nem sei o que foi.
"Amanhã a gente conversa."Ele me disse, e eu chorei, implorei para que me dissese o porque das palavras duras, da falta da despedida, eu sua devotada escrava o desagradei.E me sinto tão desolada por isso.Só eu sei!
Talvez a minha provocação,talvez tenha sido isso...Refleti tanto ontem...Eu fui rebelde.Sei que um castigo me aguarda.Mais qual?
Tenho medo? Tenho vontade? Não sei o que tenho...Mas vou receber o que mereço.
Hoje pela manhã senti novamente meu corpo pulsar, de desejo e de medo do meu Senhor.
Ele me ligou, em sua voz um tom de ordem, somente me passando uma informação, respondi temerosa, ele notou, eu sei que notou.
Castigo não é algo pra ser gostoso. Se fosse gostoso se chamaria prêmio, por isso o meu medo...O castigo é algo necessário em uma relação BDSM, como algo que te desconstrói e reconstrói, te humilha, envergonha, te coloca em seu devido lugar, algo que te auxilia na tomada de consciência de seus atos, te auxilia a repensá-los. É um momento de dor e reflexão, de aprendizado.
Sei que meu Dono vai me ensinar algo hoje, e sei que devo me sentir honrada em aprender.Mas não controlo meu medo, não consigo.
O medo é da falha, do descontentamento do meu Senhor, esse é meu medo, não é nem da dor em si, mesmo esse medo também existindo.Acho que nenhuma submissa goste de ser castigada, pois a palavra “castigo” carrega sentidos como os de: inadequação, falta de bom senso, falta de tato, falta de cuidado para com seu Dono, falta de ter seu olhar voltado para Ele.
Ninguém em sã consciência gosta de errar e pior, ninguém gosta de ser pego no erro e tê-lo jogado na cara.Eu pelo menos odeio, e aprendi agora que odeio mais quando meu erro está relacionado ao meu Dono.A dor interior de tê-lo decepcionado de alguma forma, é pior do que a que eu sei que sentirei daqui a algumas horas, quando nos encontrarmos.
Não vou falar nada, manterei,como uma boa escrava, minha cabeça curvada para Ele, e esperarei resignada minha sentença.

Nenhum comentário: