domingo, 6 de julho de 2008

Convence as paredes do quarto e dorme tranqüilo...
Sabendo no fundo do peito que não era nada daquilo...
Sexo não é assim tão importante...
Quando eu ficar velhinha, vou sentir falta mesmo é de alguém bem amigo pra conversar e ficar juntinho...Mas eu ainda sou tão jovem...
Sexo não é assim tão importante por um dia. Nem por dois... Até que esses dois dias viram quatro, depois seis, depois oito...
Quanto sentimos falta de algo, essa falta começa a doer. E a dor ininterrupta acaba fazendo o vulcão entrar em erupção.O desejo do vulcão é esse mesmo: explodir.
Caminho em direção dessa realidade inegável: eu estou prestes a explodir.E isso me dá uma sensação de intensa liberdade...
E agora sei porque, foi porque eu o conheci.Digo, conhecer de verdade, pois na minha vida há muito tempo, ele já se fazia presente, mesmo sem se revelar, e então, aos poucos, ele foi virando tudo para mim!Mostrando-me a diferença entre o que eu pensava querer e o que eu queria de verdade.Ele me disse: “Você ainda não sabe o que é ser mulher, você precisa aprender muita coisa, meu bem!”. E ele estava certo. Curvei-me a ele, me propus a aprender, me perdi em cada toque, em cada gesto, em cada ordem, palavra.Total submissão.
Com ele é tudo diferente. Ele pode me comer do jeito que quiser. Porque eu quero estar ali, existir só pra ele.Ele pode puxar o meu cabelo e me bater na cara. E eu ainda imploro para que ele não pare!Não, eu não quero que ele pare!E eu já chorei muito. Chorei muito porque eu nunca mais vou conseguir apagar a luz, porque essa verdade irá continuar gritando dentro de mim e me enlouquecendo pra sempre...Eu sou dele, inteira dele!
Para quem não sabe e não viu nada, pode fechar os olhos e dormir. Mas quem se conhece tanto, e tão profundamente, para quem assume seus desejos integralmente, perde todos os esconderijos.Foi assim comigo, é assim.Eu já não consigo dormir, fechar os olhos, apagar a luz, esquecer. Sou o que sou, já não tenho medo.
Ele veio. Passou por mim e disse apenas: “Você é minha!”.E então... Meu universo limitado inteiro deixou de existir, e eu estava solta no espaço, num espaço tão grande, tão grande, que eu não enxergava mais suas fronteiras.Nesse espaço que eu pertenço a ele.
Por ele, todo tempo a esperar valeria a pena, todo tempo com ele passa rápido demais e é tudo intenso demais...Ele disse: “eu quero muito você, mas quero inteira, e não com todos esses desejos sufocados e reprimidos...”. Libertei-me de mim! E, antes que eu me desse conta, estava inteira ali, a sua disposição. Porque era isso que ele queria.
Meus desejos foram surgindo, um após o outro, me atropelando, me assustando, me amedrontando profundamente, mas estavam ali.Ele conheceu os meus desejos, e era como se já os conhecesse o tempo todo.Ele me viu, me viu de verdade, me viu mais profundamente do que todo mundo que já esteve comigo.
Eu já não me importo nem um pouco se ele me ama ou não, se quer ficar por muito tempo ou só de vez em quando, porque ele me devolveu para mim mesma, puta do meu homem, cadela no cio, escrava dos meus desejos e dos desejos dele.
Não sei como ele se fez homem, meu homem, meu Dono, mas sei que não quero que vá embora...Sou dele, de mais ninguém!

Nenhum comentário: